Let´s Go!

Let´s Go!
Let´s Go!

30.5.12

Todo Wagner Moura tem seu dia de Zé Bonitinho

Pelo que eu pude ler nas redes sociais não perdi nada ao não assistir a "homenagem" ao Legião Urbana. Alguém teve a ideia incrível de chamar o Wagner Moura para cantar no lugar do Renato Russo, e parece que não deu nada certo, pela simples razão dele ser um bom ator, e não bom cantor.


Por que estas coisas acontecem, quando aparentemente tem tudo para dar certo? Armadilhas mentais é a resposta. Pegamos duas unanimidades, cada uma na sua área (uma banda popular com cantor tragicamente morto no auge do sucesso e um ator/personalidade admirado por todos e todas), misturamos, e obviamente vai dar certo. Ficamos tão cegos com todas as qualidades de nosso pensamento que simplesmente esquecemos o óbvio: O ator precisa ser mais que um cantor de karaokê, ele precisa ser no mínimo mediano, cantar sem envergonhar. Pois é... não deu certo.


Mas o que impressiona é o Wagner Moura ter caído na armadilha, ele parece (ou parecia) mais sensato do ponto de vista profissional, a carreira está bem alinhada, sucesso atrás de sucesso, fiquei imaginando qual a razão de entrar numa roubada destas, e pelo que percebi ele sucumbiu a um problema que lidamos todos os dias, que é a auto-percepção, como nós enxergamos, mecanismo regulado parcialmente pela nossa auto-estima.


Nunca temos uma real percepção de nós mesmos, ou nos sentimos menores do que somos ou maiores. Esta oscilação acontece a todo momento, basta tentarmos abrir um pote de azeitona que passamos a nos achar mais fracos do que deveríamos ser, ou darmos uma moeda de cinquenta centavos para um mendigo e já achamos que somos ótimas pessoas.


Entre o momento Shrek e o momento Zé Bonitinho, parece que o Zé Bonitinho dominou a mente do Wagner Moura. E toca o cara a pagar mico gigante na frente de todo mundo.
Em  maior ou menor grau, já fizemos isto e vamos continuar a fazer. Oscilar é a única maneira de continuarmos andando, e precisamos aceitar isto. Vamos passar a borracha na história, lembrar do Renato Russo cantando, lembrar do Tropa de Elite e vida pra frente. E por favor, marqueteiros de plantão, não lancem um DVD desta experiência fracassada, já basta o YouTube para nos lembrar que um dia o Wagner Moura achou que era o Zé Bonitinho mas cantava como o Shrek...

3 comentários:

Anónimo disse...

Realmente não sei de quem foi essa "brilhante" ideia, admito que não sou fã da geração brasília, mas ontem foi lamentável, mil vezes tivessem colocado o pop dinho ouro preto nos vocais, teria sido menos embaraçoso e menos desafinado, fora que teria mais a ver com a própria história da banda... Em vários momentos senti vergonha alheira do Wagner Moura, em muitos momentos mesmo. Nas tentativas de imitar Renato e no meio tom abaixo da música, no total desafino com relação aos graves. deu pena.

J. disse...

Wagner Moura tem uma banda. Coitados.

Edin disse...

tempo perdido total, só os analfabetos musicais que nao sabem o que é tessitura, harmonia, e nem sequer como é um processo de afinação que comentam que : "gostei, era só um tributo" kkk, façam-me rir, WAGNER MOURA VOLTA PARA SEU MUNDO!!! vai ficar marcado como o ator metido a besta que estragou o tributo!